quarta-feira, novembro 25, 2009

Bauhaus: O rock gótico numa breve biografia





Bauhaus foi um grupo musical inglês surgido em 1978.
Formado pelo baterista Kevin Haskins, o guitarrista Daniel Ash e o baixista David J., atuaram efemeramente como trio até a chegada do vocalista Peter Murphy, um jovem de criação católica profundamente: “consciente dos mistérios da vida, da mortalidade, do céu, do inferno, dos anjos, dos santos e do purgatório”, como gostava de ressaltar.
O nome da banda traz o conceito ligado a Escola de Arte e Design fundada por Walter Gropuis em 1919, o que de certa forma, também sugeria uma ligação com a Berlim decadente do início do século XX.

Tendo suas raízes calcadas pelo descontentamento social pós-punk, absorveram e incorporaram características deste movimento musical criando uma sonoridade atípica para os padrões musicais do final dos 70’s.
A idéia da banda, em princípio era ressaltar a corrente ‘Expressionista’ alemã e os filmes B e clássicos do terror cinematográfico da Universal e da Hammer.

“O Gabinete do Dr. Caligari” e “Nosferatu” são cenários perfeitos para a exemplificação do tema proposto por seus integrantes.
Nessa linha criativa surgiu a música Bela Lugosi's Dead’, sem dúvida o primeiro rock-gótico verdadeiro, lançado num vinil de 30cm em 1979, dentro de um estilo minimalista e experimental apoiado em guitarra econômica e acordes frios.
Os vocais fúnebres de Peter Murphy realçavam a proposta e em pouco tempo a banda se tornou admirada pelos críticos e pela juventude européia.
Suas blasfêmias melodramáticas encenadas no palco enfatizavam as estéticas góticas e, consequentemente, a angústia guiada pela culpa que sempre atormentava o jovem vocalista.

O mundo vivia a iminência da Guerra Fria, havia a corrida nuclear e uma crise econômica que dividia o planeta em duas ideologias políticas.
Todo esse cenário trazia enorme desconfiança no futuro.
As formas estéticas do punk deram lugar a uma nova valorização de estilos e conceitos neo-românticos, depressivos e uma ausência de cores como fuga conceitual da nova geração em relação às causas e as conquistas sociais.


Álbuns de estúdio:
  • In the Flat Field - 1980
  • Mask - 1981
  • The Sky's Gone Out - 1982
  • Burning from the Inside - 1983
  • Go Away White - 2008
Álbuns ao vivo:
  • Press the Eject and Give Me the Tape - 1982
  • Rest in Peace: The Final Concert - 1992
  • Gotham - 1999

*Fonte: Baddeley, Gavin Gothchic Editora Rocco: 2005.


Bela Lugosi's Dead 
(letra e vídeo)

The virginal brides file past his tomb
Strewn with time's dead flowers
Bereft in deathly bloom
Alone in a darkened room
The count
Bela Logosi's dead
Undead undead undead
                   
White on white translucent black capes
Back on the rack
Bela Lugosi's dead
The bats have left the bell tower
The victims have been bled
Red velvet lines the black box
Bela Lugosi's dead
Undead undead undead.
video

Um comentário:

  1. Vale dizer que simplesmente amo essa música que marcou época para mim??? Cada minuto dela parece precioso, e eu me sinto girando em circulos, como se a música pudesse me entorpecer, ou o vocal do Peter pudesse me conduzir... Simplesmente amo!

    ótimo post =]

    ResponderExcluir